Passar para a navegação primária Passar para o conteúdo Passar para o rodapé
Regressar a BLOG

Roteiro para um fim de semana perfeito em Lisboa

Lisbon tram

 

Poderíamos argumentar que um fim-de-semana não é muito tempo para desfrutar de tudo o que Lisboa tem para oferecer. Entre as actividades turísticas mais conhecidas e coisas invulgares para ver e fazer, a capital de Portugal tem praticamente uma infinidade de coisas para continuar a descobrir, mesmo quando aqui se vive. Mas se dois ou três dias é tudo o que tem, Lisboa também pode ser um ótimo lugar para uma escapadinha de fim de semana deliciosa e cheia de diversão!

Um dos pontos fortes da soalheira capital portuguesa é que é perfeita enquanto destino de viagens durante todo o ano. Não existe uma altura ideal para visitar Lisboa, tudo depende da sua disponibilidade ou das coisas que mais gosta. Não importa em que época do ano nos venha visitar, não se esqueça de ler as nossas dicas práticas e informações que deve saber para a sua viagem a Lisboa, que o ajudarão a planear uma estadia empolgante e com boa relação qualidade-preço.

Ao contrário de outras capitais europeias, Lisboa não é uma cidade com monumentos muito conhecidos internacionalmente. Lisboa é para ser vivida e sentida. Claro que isso leva tempo, então, se penas nos estiver a visitar durante dois ou três dias, criamos um roteiro para ajudá-lo a aproveitar ao máximo o seu tempo em Lisboa, misturando coisas que a maioria dos visitantes sentiria pena de perder, juntamente com pérolas que apenas os locais geralmente conhecem.

Quer esteja aqui de sexta a domingo, ou talvez de sábado a segunda-feira, estes são os locais a visitar, as coisas a fazer e, também muito importante, o que deve comer em Lisboa:

 

DIA 1

Conheça as maravilhas de Lisboa
Baixa-Chiado, Mouraria, Alfama, Bairro Alto

 

Day 1 de manhã

Independentemente de onde estiver alojado, recomendamos deixar as suas malas, calçar um par de sapatos confortáveis ​​que o ajudarão a enfrentar a famosa calçada portuguesa e começar a sua aventura em Lisboa! Lisboa é melhor explorada a pé. Sente-se cansado ou com jetlag? Temos uma cura para isso, em forma de pequenas doses de café expresso. Comece a familiarizar-se com Lisboa na Baixa-Chiado, onde pode recarregar baterias num dos cafés históricos de Lisboa, tais como A Brasileira (Rua Garrett 122), onde ainda está sentado o popular poeta Fernando Pessoa, em forma de estátua de bronze. Aprenda como se bebe café em Lisboa!

 

A Brasileira Lisbon coffee shop

 

Uma das coisas que deve mesmo fazer durante a sua estadia em Lisboa, principalmente se for curta, é comer pelo menos um pastel de nata por dia. Há um debate acalorado entre os moradores locais sobre onde encontrar os melhores pastéis de nata, então, se quiser participar nesta discussão, deve levar a sua pesquisa a sério, experimentando diferentes opções para poder avaliar e comparar. Enquanto estiver nesta zona, dirija-se à Manteigaria (​​Rua do Loreto 2), que nos últimos anos ganhou muita fama pelos seus pastéis quentes com massa folhada amanteigada.

 

Portuguese custard tarts in Lisbon Pastel de Nata

 

Percorrer as ruas da Baixa-Chiado dar-lhe-á uma visão muito boa da cidade. De pé na Praça do Comércio, a olhar para o vasto rio Tejo, vai perceber como os portugueses estiveram historicamente muito ligados à água e todas as possibilidades de exploração e expansão que a proximidade do mar trouxe aos lisboetas.

Tudo o que se vê na Baixa é bastante recente (pelo menos para os padrões lisboetas), pois em 1755 houve um grande terramoto seguido de um tsunami que destruiu e engoliu tudo o que foi construído até então ao longo dos séculos. Atravessar o Arco da Rua Augusta em direção ao centro da cidade é como entrar numa “nova” era de Lisboa, pós-terramoto, onde vemos um tipo de arquitetura bastante diferente das zonas mais antigas da nossa cidade. Aqui, as linhas retas contrastam com as pequenas vielas e estradas em ziguezague que verá mais tarde em Alfama, o bairro mais antigo de Lisboa. Um dos pontos mais famosos para apreciar os padrões das ruas do centro é o elevador de Santa Justa (Rua do Ouro). Este elevador que antes fazia parte do sistema de transporte público da cidade, é agora um ponto turístico. Se não lhe apetecer pagar o bilhete de admissão ou simplesmente esperar na fila para subir, recomendamos o acesso pela parte de trás, mesmo ao lado do bar Topo Chiado (Terraços do Carmo), onde também poderá desfrutar de uma bela vista. Uma vez aqui, não deixe de espreitar o Convento do Carmo, um convento sem teto que ainda mostra sinais da destruição que o terramoto de 1755 trouxe à cidade.

 

Lisbon Downtown

 

Desça passando pela estação do Rossio (Rua 1º de Dezembro 125), que é bonita durante o dia e ainda mais quando bem iluminada à noite. E, porque não, esta pode ser a altura perfeita para beber uma ginjinha. Na zona do Rossio encontrará vários barzinhos exclusivamente dedicados a este tradicional licor de ginja, como a Ginjinha Sem Rival (Rua das Portas de Santo Antão 7) que está aberta desde o século XIX, e que viajantes e locais apreciam em qualquer altura do dia. Nem precisa de se sentar para saborear as pequenas doses deste licor. Tudo o que tem que fazer é decidir se vai tomá-la sem ou com uma cereja no copo, mas lembra-se que a fruta absorve muito álcool.

 

Ginjinha sem Rival

 

Dia 1 à tarde

Porque até os amantes da gastronomia mais ferrenhos precisam de deixar espaço para o prato principal, no seu primeiro dia em Lisboa, e se seguir a nossa próxima recomendação de participar num passeio gastronómico, sugerimos um almoço leve. Se estiver com vontade de carne, peça uma típica sandes de porco, uma bifana, na pequena petiscaria As Bifanas do Afonso (Rua da Madalena 146), ou se os sabores do mar chamarem mais por si, mergulhe fundo no paraíso do bacalhau e peça uma sandes de patanisca, com pastelinhos de bacalhau, n’A Merendinha do Arco (Rua dos Sapateiros 230).

 

Bifana

 

Se planeia participar num passeio gastronómico e cultural enquanto estiver em Lisboa, é altamente recomendável fazê-lo no seu primeiro dia na cidade. Isto dar-lhe-á uma visão geral do que é a cultura gastronómica portuguesa, assim como a oportunidade de provar alguns dos nossos pratos mais emblemáticos e, claro, poderá aproveitar para pedir ao seu guia mais dicas e recomendações sobre o que ver, fazer e comer durante o resto da sua estadia. Na Taste of Lisboa oferecemos experiências gastronómicas cuidadosamente curadas, nas quais pode participar em grupo ou em privado. O nosso passeio Raízes de Lisboa, Gastronomia e Cultura leva-o pelo Rossio e a Mouraria. Durante esta experiência terá a oportunidade de explorar uma das zonas mais multiculturalmente ricas de Lisboa, experimentar petiscos típicos portugueses, bem como algumas comidas das antigas colónias portuguesas, que hoje fazem parte intrínseca da cultura gastronómica de Lisboa.

 

Lisbon food tour tasting by Taste of Lisboa

 

Se depois de quase 4 horas de caminhada, petiscos e vinhos ainda lhe resta alguma energia e curiosidade, recomendamos que continue a explorar em direção a Alfama. Desfrute do ambiente de um dos bairros mais antigos de Lisboa, veja a Sé Catedral (Largo da Sé) erguida onde até ao século XI existia uma mesquita, altura na qual o rei cristão português conquistou Lisboa após a ocupação moura. Siga em direção a São de Castelo de Jorge (Rua de Santa Cruz do Castelo). Mesmo que não queira entrar, as vistas e a atmosfera nesta área compensam a caminhada colina acima.

 

Dia 1 ao fim da tarde

Para uma merecida pausa (e quem sabe algo para beber?) seleccione um miradouro e faça um balanço do quanto viveu no seu primeiro dia em Lisboa. Alfama e o bairro da Graça têm vários miradouros atractivos – estes são alguns dos nossos miradouros favoritos em Lisboa, para que possa escolher!

Talvez pense que não vai ficar com fome depois de passar a tarde num passeio gastronómico, mas lembre-se de que subir e descer a cidade das sete colinas queima muitas calorias, e a noite é uma criança…

 

a group of people sitting at a beach

 

Dia 1 à noite

Para colocar a cereja no topo do bolo no seu primeiro dia em Lisboa, recomendamos que veja um espectáculo de fado ao vivo. Este som nostálgico é a música tradicional de Lisboa e não poderá ver uma genuína apresentação de fado em nenhum outro lugar do mundo, por isso aproveite a oportunidade enquanto estiver por aqui! Se quiser ficar por Alfama, recomendamos ir à Mesa de Frades (Rua dos Remédios 139). Na Mouraria, A Severa (Rua das Gáveas 51) dá um bom espetáculo. Mas se preferir pular para um lado ligeiramente diferente da cidade para continuar a explorar, vá até A Tasca do Chico no Bairro Alto (Rua do Diário de Notícias 39). Aqui há fado sem complicações, apreciado pelos turistas, mas também por muitos locais, que sabem bem que as aparições surpresa de celebridades do fado fazem frequentemente parte do programa d’ A Tasca do Chico. Desfrute de uma bebida e aprecie a música (por favor, lembre-se que o público é convidado a ficar em silêncio enquanto se canta o fado), mas também não deixe de provar alguns petiscos tradicionais portugueses. Tal como as tapas da vizinha Espanha, os petiscos são pequenas porções de comidas típicas, ideais para partilhar ou enganar a fome.

 

Lisbon Fado singer at A Tasca do Chico

 

Se precisar de uma dose de animação depois do espetáculo de fado, o Bairro Alto tem muitos estabelecimentos para beber e dançar até cerca das 2 da manhã. Após esse horário, os festeiros descem em direção à Rua Cor de Rosa (Rua Nova do Carvalho), onde os bares ficam abertos durante um par de horas mais.

 

DIA 2

Viva Lisboa como os locais
Belém, Alcântara, Santos, Cais do Sodré

Dia 2 de manhã

Se o seu alojamento não inclui pequeno-almoço, aproveite esta oportunidade para se aventurar por conta própria e tomar o pequeno-almoço como um lisboeta. Esqueça os ovos mexidos e o bacon e energize-se com um fofo pão de Deus com fiambre e queijo e uma meia de leite.

Siga em direção à freguesia de Belém, a bordo do elétrico 15 desde o centro da cidade. Este bairro histórico é o local ideal para relembrar o passado marítimo de Portugal. A Torre de Belém do século XVI (Av. Brasília) permite-nos recordar como os exploradores portugueses embarcaram daqui para as explorações através dos mares.

 

Belém Tower and Tagus river at sunset

 

Perto deste monumento, e em contraste com a sua antiguidade, encontra-se o CCB, o Centro Cultural de Belém (Praça do Império), que alberga o Museu Coleção Berardo, o principal museu de arte moderna e contemporânea de Portugal. Os bilhetes gerais custam apenas 5€ e são gratuitos aos sábados. Por isso, se quiser aproveitar a oportunidade de ver obras de renome de Warhol, Picasso e outros artistas de classe mundial sem gastar muito com a entrada, reserve algum tempo para dedicar à arte enquanto visita Belém.

O Mosteiro dos Jerónimos (Praça do Império) domina a paisagem em Belém. Este Património Mundial da UNESCO é uma obra-prima da arquitetura portuguesa que remonta ao século XVI, e que mostra o estilo manuelino, um estilo arquitetónico local inspirado nas viagens marítimas portuguesas. Repare nos motivos decorativos com talhas religiosas e náuticas na pedra.

Se há uma paragem que a maioria concorda é obrigatória por estes lados, é nos Pastéis de Belém (Rua de Belém 84 92), o local onde alegadamente foram inventados os pastéis de nata portugueses. Um pastel de Belém é essencialmente a mesma coisa que um pastel de nata, mas aqui com marca registrada. Assim sendo, enquanto um pastel de Belém é um pastel de nata, um pastel de nata não pode ser referido como um pastel de Belém. Confuso? Deixe as suas papilas gustativas julgar as suas semelhanças e potenciais diferenças.

 

a plate of food and a cup of coffee

 

A sua última paragem em Belém deve ser o Padrão dos Descobrimentos (Av. Brasília), à beira-rio. Achamos adequado vir até aqui, não só para admirar o monumento e as vistas para o rio, mas principalmente para apreciar o mapa do mundo que traça as rotas dos exploradores portugueses. Este trabalho é lindo e pode ser muito divertido apreciá-lo enquanto pensa na sua próxima viagem.

 

a group of people walking down the street

 

Dia 2 à tarde

Depois de explorar a pitoresca zona de Belém, propomos-lhe regressar para o centro da cidade de Lisboa. Tem a opção de pegar o elétrico de volta, mas recomendamos vivamente que caminhe ou pedale pela margem do rio. Esta agradável área foi desenvolvida apenas para peões e bicicletas. Dica: pode sempre levar um pastel de Belém extra para a [pequena] viagem.

São 7km de Belém ao Cais do Sodré e que, ao contrário da maior parte de Lisboa, são planos e uma delícia de se caminhar! No entanto, recomendamos uma paragem a meio do caminho, nas zonas de Santos e Alcântara. Para desfrutar de um almoço entre os locais e, possivelmente, nenhum outro turista à vista, dirija-se ao Último Porto (Estação Marítima da Rocha Conde d’Obidos, Alcântara). Este restaurante de peixe fresco está tão escondido do percurso habitual, que muitos moradores da zona nem sabem que existe. Mas se gosta de receitas simples de peixe grelhado a preços justos, dificilmente encontrará um lugar melhor do que este despretensioso restaurante.

Lisbon fish restaurant

 

Estamos perto da LX Factory (Rua Rodrigues de Faria 103), um lugar perfeito para um passeio digestivo. Esta antiga zona industrial agora transformada no paraíso hipster de Lisboa, oferece lojas únicas, restaurantes, alguns cafés e bares. Se por acaso vier a visitar num domingo, vai poder ver a feira LX Rural. Naturalmente, pode não querer fazer compras de frescos durante as férias, mas na LX Rural terá a oportunidade de comprar exclusivas lembranças comestíveis a produtores artesanais.

 

a group of people standing in front of a building

 

Dia 2 ao fim da tarde

Quando chega a hora do jantar, é claro que não faltam opções para se deliciar enquanto estiver em Lisboa. A nossa escolha desta vez vai para o Cantinho do Avillez (Rua Duques de Bragança 7), para dar-lhe a oportunidade de provar em que consiste a comida portuguesa contemporânea. José Avillez é, nem mais nem menos, o chef mais conceituado de Portugal. Se o seu orçamento permitir, jantar no Belcanto (Largo de São Carlos 10) galardoado com estrela Michelin é com certeza uma experiência única a ter em Portugal. Mas, se não estiver pronto para pagar cerca de 65€ por um prato principal, recomendamos optar por um dos restaurantes do Chef Avillez mais amigos da carteira. O menu do Cantinho do Avillez inclui pratos tradicionais portugueses com toques de autor inspirados pelas viagens do chef pelo mundo. A simplicidade da comida portuguesa é elevada pelo chef e a sua equipa, mas a essência da cozinha portuguesa não fica diluída.

 

Lisbon restaurant

 

Dia 2 à noite

Como jantar bem tem o potencial de deixá-lo de bom humor, é provável que não consiga ir para a cama logo após o jantar. Apresentamos o Red Frog Speakeasy! Consistentemente votado como um dos melhores bares de cocktails do mundo, o Red Frog é uma experiência e tanto. Precisa saber onde ir (Praça da Alegria 66b) e, assim que chegar, deve tocar à campainha para que o deixem entrar. O secretismo não termina na porta principal, pois há uma parede falsa lá dentro, que dá acesso a uma sala ainda mais privativa. O menu de cocktails é, como já deve ter imaginado, tentador, imaginativo e simplesmente delicioso!

 

cocktail bars in Lisbon

 

Se os cocktails despertam o seu lado mais festeiro, contam as vozes da cidade que o LuxFrágil (Av. Infante D. Henrique a Sta Apolónia Cais da Pedra, Armazém A) é uma das melhores discotecas para ir dançar pela noite afora. Se lá for, explore os diferentes pisos para dançar, mas não deixe de visitar o terraço do último piso para apanhar ar fresco e desfrutar da maravilhosa vista sobre o rio. Vai ter saudades deste tipo de vista quando se for embora – fica já avisado!

 

DIA 3

Por último, mas não menos importante… o outro lado do rio.
Cacilhas, Almada, Estrela

 

Dia 3 de manhã

Aproveite o seu último dia em Lisboa e leve um pouco de Portugal para casa. Claro que existem muitos tipos diferentes de lembranças como em qualquer outra cidade, mas recomendamos a compra de exclusivos souvenirs comestíveis, que pode oferecer como presente ou simplesmente levar para casa para saborear quando começar a sentir saudades de Lisboa. Compre algumas coloridas latas de peixe na Conserveira de Lisboa (Rua dos Bacalhoeiros 34); uma garrafa de vinho português como o vinho do Pico dos Açores, que normalmente não encontraria no seu país (Garrafeira Nacional – Rua de Santa Justa 18); ou, porque não, até mesmo um pouco de bacalhau seco (em qualquer uma destas lojas) para recriar uma receita tradicional portuguesa na sua própria cozinha!

 

Canned fish store in Lisbon

 

Dia 3 à tarde

No seu último dia em Lisboa, deve despedir-se da nossa cidade em grande estilo. Para nós, isso significa festejar com um almoço típico e, para isso, recomendamos uma visita ao Zé da Mouraria (Rua João do Outeiro 24). Vai encontrar muitos pratos de bacalhau por todo o país, mas o bacalhau assado do Zé da Mouraria não ganhou um estatuto quase mítico só porque sim! Postas de peixe bem grossas são aqui servidas em doses enormes (e acredite em nós quando dizemos enormes… são realmente enormes!), acompanhadas generosamente com batatas e grão de bico abundantemente regados com azeite com alho.

 

Lisbon traditional restaurant Zé da Mouraria

 

Para ajudar a digerir o almoço, sugerimos atravessar o rio até a margem sul. Bem, não recomendamos nadar pelo Tejo, mas sim tomar um ferry rápido, conhecido localmente como cacilheiro, do Cais do Sodré (linha verde do metro) em direção a Cacilhas, em Almada. Um rápido passeio de cerca de 10 minutos separa o que às vezes parece mundos à parte. Muitos lisboetas vão até à margem sul para desfrutar de refeições de marisco fresco, geralmente a preços mais simpáticos ​​do que no centro da cidade. Caso não tenha seguido a nossa dica para o almoço, pode sempre aproveitar a oferta por estes lados., Mas não o traríamos aqui apenas para comer, mas também para dar um passeio tranquilo à beira rio, enquanto desfruta de vistas panorâmicas de Lisboa.

 

Lisbon ferryboat

 

Se quiser maximizar a experiência e talvez tirar algumas fotos de Lisboa de dar inveja, caminhe em direção à estátua do Cristo Rei, a cerca de 30 minutos da paragem do Cais de Cacilhas. Desde a estátua de Cristo que foi construída para imitar o famoso Cristo no Rio de Janeiro, Brasil, maravilhe-se com as vistas de Belém, a ponte 25 de abril que lembra a Golden Gate Bridge de São Francisco, e o centro da cidade de Lisboa até as colinas de Alfama.

 

a view of a large body of water with a city in the background

 

 

Dia 3 ao fim da tarde

Não tenha pressa durante as suas últimas horas em Lisboa. Aproveite o ritmo da nossa cidade e sente-se para tomar uma bebida e, se tiver capacidade para isso, um petisco, ainda na margem sul do rio Tejo. O Ponto Final (Rua do Ginjal 72, Almada) é conhecido como um local único para desfrutar de pores-do-sol incríveis sobre o rio, com Lisboa no horizonte. Mas se este popular restaurante estiver cheio, facilmente encontrará outras cervejarias e marisqueiras que valem muito a pena em Cacilhas, mais perto da estação (Largo Alfredo Dinis). Durante os meses de verão, o cheiro a sardinha grelhada no carvão irá guiá-lo como nenhum mapa ou site de comentários jamais poderia.

 

Lisbon restaurant with terrace

 

Dia 3 à noite

Se ao regressar a Lisboa ainda lhe apetecer uma bebida de fim de noite, desfrute de um último copo (ou garrafa!) de vinho no Senhor Uva (Rua de Santo Amaro 66A), um dos melhores bares de vinhos de Lisboa. Este acolhedor restaurante perto do Jardim da Estrela aposta em vinhos naturais e na comida vegetariana. Iniciado por um casal de sommelier e chef botânica, o Senhor Uva serve um menu ao estilo tapas criado com ingredientes orgânicos sazonais, harmonizados com vinhos que fazem parte de uma carta verdadeiramente impressionante.

 

a dining room table

 

Como pode ver, Lisboa tem muito para oferecer e, enquanto esperamos que possa ficar connosco mais um pouco de tempo, desejamos-lhe uma boa estadia na nossa cidade! Tem alguma dúvida sobre como planear a sua próxima viagem a Portugal? Entre em contato conosco no Instagram ou Facebook  e aproveite para conversar com os nascidos e criados em Lisboa. Por favor marque-nos para ficarmos a saber:  @tasteoflisboa   #tasteoflisboa

 

Continue a alimentar a sua curiosidade pela cultura gastronómica portuguesa:

Qual é a melhor altura para visitar Lisboa?

Os lugares mais românticos de Lisboa para quem gosta de comer

Passeios de um dia perto de Lisboa que nós, Lisboetas, fazemos e adoramos

O que saber antes de chegar: dicas práticas e informações úteis para a sua viagem a Lisboa

 

Pessoas genuínas, comida autêntica. Venha connosco onde os portugueses e lisboetas vão! 

Reserve o seu lugar na nossa próxima experiência gastronómica & cultural.

Siga-nos para mais em InstagramTwitter e Youtube