Passar para a navegação primária Passar para o conteúdo Passar para o rodapé
Regressar a BLOG

A que horas é que se come em Portugal?

Clock

 

Se está em Lisboa e quer almoçar às 11:00 ou 15:00 pode, o mais fácil será marcar o seu lugar numa das nossas caminhadas gastronómicas. Se por volta das 18:00 lhe apetece beber uma cervejas e comer umas tapas também é possível. Em Portugal todas as horas são boas para uma pausa à volta da comida. Ainda assim, independentemente do horário do seu estômago há um velho ditado que resume o espírito português na perfeição: a hora da refeição é sagrada e gostamos do culto da refeição partilhada.

Há, claro, quem siga à risca os horários tradicionais – almoço às 13:00 em ponto e jantar às 20:00. E há quem goste de variar e prevaricar nos horários consoante os dias da semana. Em especial às sextas e sábados, onde é costume jantar tarde, para seguir sem tempos mortos a ronda dos bares e o pé de dança na discoteca. Se desejarem, até bem depois do sol nascer. Ah, e o domingo é dia de brunch.

Confusos? Passamos a explicar:

 

SEGUNDA A QUINTA

08:00 / 08:30 – Pequeno-almoço

O português saudável toma o pequeno-almoço em casa, à base de fruta e cereais. O português típico gosta de tomar o pequeno-almoço fora de casa, no café, enquanto comenta as notícias do dia com o empregado do balcão. Gosta de comer uma torrada ou uma sandes mista (manteiga, fiambre e queijo) com um galão ou uma meia de leite. Há quem prefira o típico salgado e um café.

 

​11:00 – Lanche da manhã

Pausa para um café e, o clássico, com o pastel de nata. Ou o queque. Ou o bolo de arroz. O português​ saudável a esta hora já está em hipoglicemia, não resiste e pede um pão de Deus com queijo ou misto [na versão em inglês — uma sandes doce: um bolo fofo com côco ralado no topo​ a que gostamos de juntar queijo e fiambre], que o tranquilizará até à hora de almoço.

 

13:00 / 14:00 – Almoço

A típica hora de almoço é entre as 13h00 e as 14h00 e a refeição, como dita o bom gosto da dieta mediterrânea, em Portugal começamos com uma sopa, o nosso primeiro prato e a nossa principal fonte de vegetais. Segue-se um prato de peixe ou carne, guarnecidos com arroz ou batatas e legumes a decorar, uma sobremesa e a terminar um café. É normal encontrar portugueses a almoçar ao balcão dos cafés, quando o tempo é escasso. Nestes casos é comum pedir-se uma sopa, seguida de uma bifana ou um prego, ou um salgado, seja ele rissol de camarão ou de leitão, pastel de bacalhau ou croquete de carne.

17:30 / 18:00 – Lanche da tarde

Mais um pastel de nata, uma empada de galinha ou outro bolo ou salgado, acompanhado de mais um café, ou nos dias muitos frios um chá para aquecer a alma, matam o rato para aguentar até ao jantar.​

 

20:00 / 21:00 – Jantar

Em casa começamos a fazer refeições mais leves ao jantar e é frequente incluir apenas uma sopa, pão, queijo, uma salada e fruta. Menu que não inclui jantares fora em restaurantes, que começam a ser agendados a partir de 5ªf a sábado.

 

SEXTA E SÁBADO AO JANTAR

21:30 / 23:00

Lembra-se do ditado sobre a hora da refeição ser sagrada? Pois esqueça o ditado à sexta e sábado. Nestes dias o jantar é marcado no restaurante às 21:30/22:00, as pessoas começam a aparecer meia hora mais tarde e começa-se a comer às 23:00. A refeição termina por volta das 00h30 e depois ruma tudo ao Bairro Alto ou Cais do Sodré para o primeiro copo da noite.

 

DOMINGO

12:30 / 15:00 – Brunch

As noites de sábado costumam ser longas, uma verdadeira maratona para muitos, e as manhãs de domingo são duras ou inexistentes. Nada melhor que curar a ressaca do que um brunch bem servido, a partir do meio-dia, com maior adesão a partir das duas da tarde. Pelo menos é o que elas pensam, eles vão a acompanhar de óculos escuros e a suspirar por uma coca-cola e um hambúrguer com bacon, dose extra de queijo, ovo e batatas fritas com mostarda, ketchup e maionese. O típico brunch é uma versão de pequeno-almoço almoçarado, com vários tipos de pão, croissants, manteiga, doce, vários tipos de queijo, ovos mexidos ou estrelados, um shot de puré de legumes, uma salada quente ou fria, sumo natural e um doce de colher. Pensando bem, também pode servir de lanche ajantarado. Gostamos!

 

Brunch in Lisbon

 

Vamos adorar ver as fotografias, impressões, sugestões, manifestação de desejos das suas experiências gastroculturais em Lisboa e em Portugal. Partilhe connosco no  FacebookInstagram ou Twitter. Por favor tague-nos: @tasteoflisboa  #tasteoflisboa.

 

Continue a alimentar a sua curiosidade pela cultura gastronómica portuguesa:

10 maneiras de aproveitar Lisboa ao ar livre

8 chefs femininas portuguesas que vai querer conhecer

Bacalhau à Brás – A receita original de Lisboa

Como identificar o pastel de nata perfeito

 

Pessoas genuínas, comida autêntica. Venha connosco onde os portugueses e lisboetas vão! 

Reserve o seu lugar na nossa próxima experiência gastronómica & cultural.

Siga-nos para mais em InstagramTwitter e Youtube

 

Skip to toolbar