Passar para a navegação primária Passar para o conteúdo Passar para o rodapé
Regressar a BLOG

O caso Tellier – Amor à primeira vista

O que leva um casal francês com uma vida estável em Paris a vender tudo e a instalar-se de armas e bagagens em Lisboa e escolher a Mouraria para morar? Uma paixão arrebatadora pelo país que escolheram para viver com o filho Marceau.

Foi durante a primeira visita a Lisboa, há cinco anos, que Anne-Sophie e Maxime Tellier caíram de amores pelo nosso país. Além da capital visitaram o Alentejo e apaixonaram-se irremediavelmente pelas paisagens e pela simpatia dos portugueses. As visitas seguintes só serviram para alimentar ainda mais esta paixão. “Além de Lisboa visitámos o Alentejo e gostámos muito do carácter selvagens desta zona, muito diferente da costa do Algarve, com muitos turistas e uma urbanização muito forte. O Alentejo é muito diferente e ficámos impressionados”.

Apesar de terem uma vida estável em Paris, “uma cidade extraordinária, muito bonita e com muita energia”, o casal queria ter outra experiência de vida e aproveitou o facto do irmão de Anne-Sophie viver em Lisboa para conhecer melhor a cidade. Até que no Verão passado surgiu a ideia de largarem tudo para se instalarem em Lisboa.

Depois de passarem uma semana para ver Lisboa com olhos de moradores, e não de turistas, para entender os bairros no seu sentido mais prático, escolheram a Mouraria pelo “carácter autêntico do bairro. Um bairro popular, com vida, e comprovámos isso durante as festas de Sto António. É o bairro com mais vida, com mais energia e que melhor representa Lisboa. Também era o bairro que menos conhecíamos, porque o irmão de Anne-Sophie mora no Príncipe Real, que conhecíamos relativamente bem, mas ficámos apaixonados por esta zona, que ainda estamos a conhecer”.

Conscientes das dificuldades económicas que o país atravessa, o casal está a estudar a possibilidade de voltar às profissões que tinham em Paris, Maxime no ramo imobiliário e Anne-Shopie com uma loja online de móveis vintage. Enquanto estudam possibilidades optaram por lançar um outro projeto denominado Flashmat (http://www.flashmat.pt). “É uma cabine fotográfica de nova geração, um photobooth, desenvolvido por uma empresa francesa e que estamos a lançar em Portugal. A ideia era ter um projeto que pudesse arrancar já para ter alguns recursos e então desenvolvermos os nossos outros projetos, que tomam mais tempo”.

Quanto à gastronomia portuguesa, o casal ficou fã do cozido à portuguesa, que provou na tasca A Provinciana, perto do Lg de São Domingos (onde começamos a nossa food & cultural tour da Baixa-Mouraria), e já arrisca fazer arroz de tamboril em casa. “Compramos o peixe no Mercado da Ribeira e cozinhamos em casa”.

Skip to toolbar