Passar para a navegação primária Passar para o conteúdo Passar para o rodapé
Regressar a BLOG

Leopold - Cozinha experimental em plena Mouraria

Há muito que a antiga padaria da Rua de S. Cristóvão, na Mouraria, estava fechada. Os primeiros sinais que algo estava a mudar começaram a surgir na montra, onde foram estrategicamente colocadas grandes lanternas verdes. Era o prenúncio da abertura do Leopold, um restaurante intimista com capacidade para 12 pessoas e onde o experimentalismo é a palavra de ordem.

Tiago Feio, ex sub-chefe do restaurante Largo, é o responsável pelos pratos experimentalistas, onde brinca com a textura e apresentação dos alimentos. Exemplo disso é o prato Legumes na Terra, que tivemos oportunidade de experimentar, e onde a cenoura é apresentada na ‘terra’, que mais não é que alfarroba e cacau. “São ingredientes que as pessoas conhecem, como cenouras, rabanetes ou nabos, mas o que muda é a confeção e a apresentação”, explica Tiago Feio.

Na cozinha, que está à vista de todos atrás de um grande balcão de mármore, não há fogão nem tão pouco exaustor. Todos os pratos são confecionados a vácuo, o que permite manter o sabor e os nutrientes dos alimentos. “Para mim, a comida não se pode separar da apresentação sofisticada ou engraçada, é um conceito conjunto”, confessa Tiago Feio, que controla a temperatura da confeção dos alimentos à décima de grau, com a ajuda de um Roner, uma caixa com água onde os alimentos são cozinhados a vácuo. Mas porquê este conceito? Tiago Feio e a namorada Ana Cachaço quiseram apostar numa linguagem na qual acreditam. “Já que é um sítio pequeno e só nosso, então vamos apostar numa linguagem na qual acreditamos. Apostámos num conceito de partilha, onde os pratos vêm para o centro da mesa e as pessoas estão a partilhar e a conversar, a experimentar coisas novas”.

E porquê Leopold? A resposta está bem à vista de todos, no poster gigante colocado numa das paredes do restaurante. “Era o poster que tínhamos na nossa cozinha, em casa. Quando recebíamos amigos para jantar, em vez de ficarem na sala acabavam por vir para a cozinha ver o que estava a fazer e ficávamos a conversar. Acabámos por colocar um sofá na cozinha” (risos). E como foi nessa cozinha que surgiu a ideia de abrir um restaurante “achámos que tinha tudo a ver com a ideia das pessoas estarem a socializar na cozinha”.

Foi tudo isto que nos atraiu e passámos a parar aqui na nossa Food Tour Baixa-Mouraria.

Skip to toolbar