TASTE OF LISBOA
real people, real food
voltar

BLOG

Volta a Portugal em 18 comidas

As experiências gastronómicas & culturais da Taste of Lisboa acontecem sobretudo na nossa capital. Isso não significa que aqui não possamos desfrutar de comidas e bebidas de todo o país. Em Lisboa é relativamente fácil encontrar pratos de diferentes partes de Portugal. No entanto, para experimentar receitas específicas de cada região, é aconselhável, se não viajar até lá, ao menos procurar restaurantes especializados.

Para desmistificar a ideia de que a cozinha portuguesa é pouco mais do pastel de nata, bacalhau, sardinhas e vinho do Porto, hoje levamo-lo numa viagem deliciosa pelo nosso país. O nosso foco será a cozinha de Portugal continental, deixando as Ilhas para outra deliciosa viagem.
 
18 distritos, 18 comidas. Aqui vamos nós!


1. Aveiro: Ovos Moles

 
Começamos esta viagem gastronómica com uma paragem doce. Uma paragem muito doce! Pergunte a qualquer português e todos lhe dirão que não pode ir a Aveiro e não provar esta maravilha que são os Ovos Moles. O seu nome deve-se ao recheio feito de ovo que pode comer com uma colher, ou mais comum, embrulhado em hóstia com formas inspiradas em motivos marinhos. Esta especialidade de gema de ovo e açúcar data do século XIX e é tão representativa do nosso país que lhe foi dado o título de Indicação Geográfica Protegida (IGP) pela União Europeia.

Onde comer Ovos Moles em Lisboa:
Pastelaria Alcôa
Rua Garrett 37 - Bairro: Chiado


2. Beja: Migas com Entrecosto



Este é um dos mais famosos pratos da cozinha Alentejana. Migas, uma pasta salgada que consiste em côdeas de pão frito com banha de porco e temperos como alho e coentros, servido com entrecosto. A gastronomia do Alentejo, região na qual se situa a cidade de Beja, é bem conhecida pelas várias utilizações dadas ao pão e as migas são apenas um exemplo do que se pode fazer com pão rústico quando já não está fofo o suficiente para ser comido. Estamos a falar de comida caseira pesada, ideal para o inverno, mas sejamos honestos: nós gostamos em qualquer época do ano.

Onde comer Migas com Entrecosto em Lisboa:
Casa do Alentejo
Rua das Portas de Santo Antão 58 - Bairro: Baixa


3. Braga: Pudim Abade de Priscos



Possivelmente é a mais pecaminosa de todas as sobremesas portuguesas. A este pudim foi dado o nome do seu criador, o abade de Priscos. Uma figura religiosa do século XIX da cidade de Braga. Ao contrário da maioria dos pudins portugueses, feitos com leite ou manteiga, esta sobremesa troca os lacticínios por banha de porco que é a responsável pela sua consistência suave. Em inglês, por vezes, refere-se a esta sobremesa como o pudim de bacon, pois o toucinho faz de facto parte da receita – embora não se utilize bacon fumado, porque iria dar um sabor que se sobreporia aos ovos e ao caramelo em quantidades generosas bem conhecidas do repertório dos pudins portugueses.

Onde comer Pudim Abade de Priscos em Lisboa:
JNcQUOI
Avenida da Liberdade 182 184 - Bairro: Baixa


4. Bragança: Butelo e Casulas



Ao contrário das comidas mencionadas anteriormente, este não é um prato muito conhecido, nem mesmo entre os portugueses. Mas na região de Trás-os-Montes, onde se localiza Bragança, há até um festival gastronómico inteiramente dedicado a manter a tradição do Butelo e Casulas viva.

Butelo é uma maneira tradicional de conservar carne, que claramente emula o espírito de não desperdiçar comida, característico da criação de tantos chouriços em Portugal. Butelo é intestino de porco recheado com pequenos bocados de carne e ossos, temperados com alho. Depois de curado e fumado, o butelo é comido cozido com feijão e casulas, que são vagens de feijão cozidas até ficarem tenras.

Onde comer Butelo e Casulas em Lisboa:
Pedimos desculpa, pois para comer este prato terá mesmo que se deslocar até Trás-os-Montes. Porém, para se deliciar com outros pratos dessa região em Lisboa poderá visitar:
À Justa da Chef Justa Nobre
Calçada da Ajuda 107 - Bairro: Ajuda


5. Castelo Branco: Papas de Carolo



À primeira vista ninguém consegue ver as diferenças entre Papas de Carolo e Arroz Doce. Este doce é bem mais difícil de encontrar do que o arroz doce. Papas de Carolo é uma sobremesa caseira feita especialmente na região das Beiras, onde se encontra a cidade e distrito de Castelo Branco. Esta receita consiste numa mistura tipo papa feita com leite açucarado e sêmola de milho, conhecido como carolo. Ao bom estilo português, esta agradável sobremesa é polvilhada com canela, normalmente usada para criar padrões decorativos nas Papas de Carolo.
 
Onde comer Papas de Carolo em Lisboa:
Faça amigos das Beiras e peça-lhes para lhe cozinharem Papas de Carolo – esta é uma receita caseira.


6. Coimbra: Pastel de Tentúgal



O pastel de Tentúgal é um pastel extremamente fino e estaladiço. A sério! Se vir este vídeo sobre como a massa é feita, cobrindo vários metros de superfície, vai perceber exatamente como esta impressionante consistência é conseguida. Os pastéis de Tentúgal são delicadas bolsas de massa ultrafina, parecida à massa filo, recheadas de doce de ovo. Estes pastéis foram criados pelas freiras carmelitas de Tentúgal e são por isso consideradas um excelente exemplo da doçaria conventual portuguesa. Os pastéis de Tentúgal são polvilhados com açúcar em pó para lhes dar um toque mais refinado.
 
Onde comer Pastéis de Tentúgal em Lisboa:
A Pousadinha
Rua de São Paulo 188 - Bairro: Cais do Sodré


7. Évora: Sopa de Cação



O mundo do peixe e do marisco em Portugal é realmente grande. No Alentejo, uma das regiões portuguesas melhor conhecidas pela criatividade e qualidade da sua gastronomia, a sopa de cação é famosa e por uma boa razão. Por muitos apreciados pratos que hajam nesta parte do país, esta receita não é muito complicada. Pense num espesso caldo infundido em alho e coentros, com finas fatias de cação, temperado com um pouco de vinagre. Tradicionalmente servido por cima de fatias de pão, este prato típico dos arredores de Évora, é a comida alentejana caseira no seu melhor.
 
Onde comer sopa de cação em Lisboa:
O Magano
Rua Tomás da Anunciação 52A - Neighborhood: Campo de Ourique


8. Faro: Xarém com Berbigão



Se viajar até ao sul de Portugal, o Algarve, vai facilmente encontrar parecenças entre esta região e o norte de África. Xarém é um prato típico desta área, bem como de países onde os portugueses tiveram influência histórica – principalmente em Cabo Verde e no Brasil. Consiste num estufado de farinha de milho, com uma consistência de papa, um ingrediente que em Portugal é maioritariamente reservado para fazer pão. Como o Algarve é uma extensa zona costeira, é normal que peixe e marisco desempenhem um importante papel na dieta local. Por isso é normal que o xarém seja normalmente servido com berbigão.
 
Onde comer Xarém com Berbigão em Lisboa:
O Frade
Calçada da Ajuda 14 - Bairro: Belém


9. Guarda: Queijo da Serra da Estrela



Vejam o mais icónico dos queijos portugueses! Saudando desde os vales da Serra da Estrela, onde se encontra o ponto mais alto de Portugal continental, este é o tipo de produto que os amantes de queijo de sabor forte vão apreciar - Amanteigado, intenso e duradouro.  Ao queijo Serra da Estrela foi concedido o estatuto de DOP, pela União Europeia, sendo a sua produção limitada a áreas geográficas especificas. As regras são igualmente estritas quando se fala da preparação do leite para a sua confeção. Apenas ovelhas de raça autóctone são utilizadas e o seu leite é coalhado com um método antigo que requer flor de cardo, seguindo uma longa tradição de 8 séculos.
O queijo Serra da Estrela por ser comido 60 dias após a sua produção, ou curado até se maturar mais. Enquanto jovem, este queijo extremamente untuoso não pode ser fatiado. Em vez disso, o modus operandi requer remover o topo e utilizar uma colher.
 
Onde comer Queijo Serra da Estrela em Lisboa:
Manteigaria Silva
Rua Dom Antão De Almada 1 C/D - Bairro: Baixa


10. Leiria: Brisas do Lis



Se pudéssemos nomear um embaixador gastronómico do distrito de Leiria, seriam as Brisas do Lis. Este doce fino apenas necessita de 3 ingredientes – gema de ovo, açúcar e amêndoas moídas – mas faz as delícias de muitos gulosos. Mais um maravilhoso exemplo da doçaria conventual portuguesa, que foi criado pelas freiras residentes no Convento de Santana em Leiria. Quando pensa em doces portugueses à base de gema de ovo é difícil imaginar como receitas que têm praticamente os mesmos ingredientes, acabam por ser tão diferentes em termos de sabor e textura. Isto é algo que o pode facilmente entreter enquanto viaja por Portugal: prove os doces conventuais de diferentes partes do país ou prove-os em Lisboa e decida qual é o seu favorito!
 
Onde comer Brisas do Lis em Lisboa:
Casa dos Ovos Moles em Lisboa
Calçada do Sacramento, 25 - Bairro: Chiado


11. Lisboa: Pastel de Nata



Nenhum outro doce poderia representar o distrito de Lisboa do que o famoso pastel de nata. O facto de até os estrangeiros já não costumarem traduzir para inglês o seu nome, referindo-se a eles como Pastel de Nata, é um ótimo sinal de que estes atingiram o seu estatuto internacional. O mais cremoso creme é envolto em camadas estaladiças de massa, podendo conter um travo de limão, dependendo da preferência do pasteleiro, polvilhados com canela e açúcar por cima. Lembre-se: se comer um pastel de nata na Antiga Confeitaria de Belém, em Belém, o pastel chamar-se-á pastel de Belém. Em todos os outros locais será pastel de nata. Pondo a questão da marca registada de lado, a receita é bastante semelhante e é um marco obrigatório ir percorrendo a cidade de Lisboa e provando vários. No final da sua visita a Portugal, deverá ser capaz de ter pelo menos o seu top 3 de preferência!
 
Onde comer um Pastel de Nata em Lisboa:
Durante o nosso Passeio Mercado, Gastronomia e Cultura de Lisboa partilhamos consigo os nossos pasteis de nata preferidos em Lisboa. Temos a certeza que irá adorar! - Mouraria, Baixa, Campo de Ourique


12. Portalegre: Ensopado de Borrego



Enquanto o porco é o rei no que toca a pratos de carne no posso país, também será capaz de encontrar receitas envolvendo outras carnes, tanto em Lisboa como por Portugal inteiro. Em Portalegre, no alto Alentejo, ensopado de borrego é um prato que garantidamente irá fazer com que acumule calor e calorias suficientes para continuar a explorar. Esta receita com molho é servida sobre pão, explicando o nome do prato: as fatias de pão ficam ensopadas, ficando macias com o caldo derramado. Esta é uma comida tradicional, rústica e deliciosa!
 
Onde comer Ensopado de Borrego em Lisboa:
Zé Varunca
Travessa das Mercês 16 - Bairro: Bairro Alto


13. Porto: Tripas à Moda do Porto



Muitos pensam que a Francesinha é o prato que melhor representa o Porto. Hoje em dia pode ser verdade, mas Tripas à Moda do Porto estão lá muito mais antes! Pergunte a um portuense e ele confirmará que este é o prato do Porto. Não é de admirar que os habitantes do Porto são conhecidos no resto do país como tripeiros! Este ensopado de tripas é uma prova das dificuldades que o povo do Porto teve de suportar: quando há aproximadamente 500 anos os marinheiros portugueses começaram a explorar os diferentes cantos do mundo, partiram muitos do Porto. Enquanto os navios eram cheios com os melhores ingredientes para alimentar a tripulação numa aventura de uma vida, os restantes ficavam apenas com as sobras. Aparas e pedaços de gordura eram combinados com criatividade, e assim a receita das Tripas à Moda do Porto surgiu!
 
Onde comer Tripas em Lisboa:
Tasca do Gordo
Rua Cordoeiros a Pedrouços 33 - Bairro: Belém


14. Santarém: Favas com Entrecosto



Analisando o reportório da cozinha tradicional portuguesa, facilmente notará que a gastronomia do nosso país tem confiado bastante nos seus estufados. Famílias grandes significavam grandes tachos, onde alguns ingredientes sazonais foram juntos com as especiarias corretas e muito amor, que resultou num sabor extraordinário. Favas com entrecosto junta favas e costeletas, numa combinação reconfortante, suculenta e saciante. Em variações deste prato podem substituir o entrecosto por chouriço. Os portugueses facilmente se lembrarão do cantor José Cid a cantar “ A pouco e pouco”, onde ele carinhosamente canta à sua mulher, pedindo para esta lhe preparar este prato de favas com chouriço!
 
Onde comer Favas com Entrecosto em Lisboa:
O Cardoso da Estrela D'Ouro (apenas às quartas)
Rua da Graça 22 - Bairro: Graça


15. Setúbal: Choco Frito



Quando visitar Lisboa, um passeio de um dia à cidade piscatória de Setúbal merece muito a pena. Se não for por mais nada, pelo menos visite pelo choco frito. Não que Setúbal não tenha muita coisa que ver e fazer, mas este choco frito justifica por si só a viagem! Se gosta de lula, vai adorar choco. Parecido em sabor, mas mais crocante e espesso, é perfeito para panar.
Esprema um pouco de limão para cortar a gordura antes de o devorar e voilà! O choco frito é normalmente servido com batatas fritas e salada. É um dos pratos de peixe preferidos que pode experimentar à volta de Lisboa. Algumas pessoas gostam de caldeiradas, outras preferem peixe grelhado. Mas todos gostam de um prato crocante de choco frito!
 
Onde comer Choco Frito em Lisboa:
Apanhe o comboio e em cerca de 40 minutos estará em Setúbal.
Quando chegar a esta cidade costeira a dificuldade será onde não comer Choco Frito!
Não tem tempo suficiente para deixar Lisboa? Vá então ao Choco do Bairro
Rua Ten. Ferreira Durão 55 A - Bairro: Campo de Ourique


16. Viana do Castelo: Arroz de Lampreia



Este peixe de rio parecido a uma cobra resulta num prato bastante sazonal, que devido ao seu sabor é uma verdadeira iguaria, particularmente no norte do país. Considerado por muitos estrangeiros um bom exemplo de uma comida bizarra Portuguesa, a lampreia é um animal que suga sangue e que ironicamente é cozinhado no seu próprio sangue. Arroz de lampreia é um prato de arroz composto por peças de lampreia e os seus próprios sucos. A lampreia fresca é apenas pescada de Janeiro a Abril. Se estiver em Portugal no princípio do ano, não perca esta oportunidade!
 
Onde comer Arroz de Lampreia em Lisboa:
Solar Os Nunes (durante a época)
R. dos Lusíadas 68 - Bairro: Alcântara


17. Vila Real: Covilhetes



Para aqueles que gostam de massa folhada e carne picada, este ícone gastronómico de Vila Real é o ideal! Está sempre disponível em padarias perto da capital de Trás-os-Montes, mas infelizmente não é muito fácil de o encontrar noutros locais em Portugal. Covilhetes consistem numa massa folhada moldada numa forma similar a um pastel de nata. São recheadas com carne picada marinada em vinho e especiarias, coberta com massa que previne que seque quando cozinhada.

Onde comer Covilhetes em Lisboa:
Prazeres da Terra
Largo Dona Estefânia 6 - Bairro: Saldanha


18. Viseu: Rancho



No interior de Portugal, onde as temperaturas durante o Inverno descem para menos zero graus, estes estufados substanciais são o caminho a seguir! Rancho é um prato cozido que inclui vegetais, como couve, batatas, cenouras, vários cortes de carnes, chouriço, chouriço de sangue e entremeada, grão e massa pequena. A água onde todos os ingredientes foram cozinhados transforma-se num caldo com a profundidade de todos os sabores combinados. Entre uma sopa rica e um estufado, rancho é imperdível aquando de uma visita a Viseu e arredores!
 
Onde comer Rancho em Lisboa:
Restaurante Toledo (às quintas)
Rua Alexandre Ferreira, 34-A  - Bairro: Lumiar

A gastronomia conta-nos a história do nosso país e do nosso povo. Descubra mais sobre a comida e cultura Portuguesa juntando-se a um dos nossos passeios gastronómicos e culturais em Lisboa!
 

 

TOP